Gafes do Jornal Público

December 3rd, 2009 by Leandro Morgado

Costumo ler o feed RSS do Público e ultimamente tenho reparado numa quantidade enorme de erros, tanto ortográficos como gramaticais. Toda a gente comete o erro ocasional mas uma vez que se trata de um jornal, onde supostamente trabalham jornalistas profissionais, existe uma alta visibilidade para tais situações. Será que é pelas notícias serem publicadas na Web? Nunca vi semelhante coisa na imprensa escrita!

No espaço que se segue irei coleccionar tais gafes. Talvez sirva de incentivo para o grande chefe (da paz) do jornal comprar “spell checkers” para os funcionários.

Mettalica ou Metallica

Mettalica ou Metallica

 

 

Oops, as notas do editor ficaram no artigo!

Oops, as notas do editor ficaram no artigo!

Há uns tempos havia um artigo sobre os “cabeçilhas” de um grupo violento, mas ainda bem que já foi corrigido. No entanto, não deixa de ser engraçado ler os comentários.

Hoje apanhei um susto quando li que o tal soldado estava “asustado“! Até pensei que fosse um novo Netbook, Asus Tado:

asustado vs assustado

asustado vs assustado

Pelos vistos a IBM anda a fazer uma boas promoções, leve 2 pague 1:

IBM 2 por 1

IBM 2 por 1

E também fiquei a saber que o Newcastle mandou construir o seu estádio novo no St James Park de Londres. Pelos vistos a Rainha queria ver os jogos da varanda do Palácio de Buckingham! 🙂

Olhá lá, o St James Park fica aonde? Qual deles?

Olhá lá, o St James Park fica aonde? Qual deles?

Hoje fiquei a saber que o Público já consegue viajar no tempo e que daqui a 6 meses atrás vamos ter (ou será que já tivemos?) novas estações de Metro em Lisboa! Nota: Estamos em Agosto de 2009!

Back To The Future

Back To The Future

Durante a leitura de hoje sobre o caso Isaltino, descobri que afinal o homem é um intelectual de capacidade superior, tendo concluído a Licenciatura logo depois de “vir ao mundo”. Quem diria que o Isaltino foi um menino prodígio?!

Menino prodígio Isaltino

Hoje “aprendi” que o povo de Nigér não é nigerino nem nigerense mas antes nigeriano! Isto deixa os meus amigos da Nigéria em alguns apuros pois vão ter que arranjar outro gentílico!

 

nigerino vs nigeriano

nigerino vs nigeriano

Neste caso, o jornalista do Público decide rebaptizar o famoso jornal de negócios, Financial Times:

Financial vs Finantial

Financial vs Finantial

Hoje estava a ler sobre os fantásticos contributos do Sr. Alan Turing para decifrar o Enigma, quando descobri que afinal já não é crime ser homosexual no Reino Unido e o Sr. Turing foi perdoado. Até aprendi que tal processo chama-se “descriminação sexual” :

Alan Turing alvo de "descriminação"

Alan Turing alvo de "descriminação"

E agora um tema que me interessa bastante pessoalmente, as LAN Party (ai que saudades da Minho Campus Party!). Em Oeiras está a decorrer a XLParty que descobri ter “switchers da Holanda” (será que os Made in Taiwan não servem?) e um novo e emocionante jogo, o Conter Strike:

 

XLParty com "switchers da Holanda"

XLParty com "switchers da Holanda"

Será que posso utilizar o bing para procurar um corrector ortográfico em tempo real? Hint Hint!!

BNIG?

BNIG?

E um caso que está nos ouvidos do mundo é o da (do ?) atleta Semenya. Além de lhe retiram a medalha de ouro, agora metem-na dentro de um estádio qualquer e abandonam a rapariga lá dentro! Ora, isso não se faz! Sr Jornalista (ou tradutor “wannabe”), penso que artigo original diria algo como “abandoned in all stages”. É bom reparar que “stages” não significa estágios (curriculares ou profissionais?) nem muito menos estádios. Quanto muito seria abandonada em todos os palcos ou cenas, mas neste contexto penso que queriam dizer “abandonada em todas AS FASES do problema”! É uma coisa temporal e tal certo?

E o coitado do editor do jornal é que se tem de lembrar sempre dos outros, sem ninguém lhe retribuir o favor! Será que não houve uma alma caridosa que deixasse uma nota ao editor, a lhe lembrar para apagar as notas de edição?

Nota ao editor: tirar a nota do editor

Nota ao editor: tirar a nota do editor

Preparem-se que para o ano vai estar calor… hot.. hot…hot!

Que calor!

Que calor!

Ultimamente tenho visto muita porcaria no Público. Tanta que nem me tenho esforçado em a denúnciar. Mas depois de ler tanta coisa absurda e descuidada relativamente a valores monetários, não pude resistir. Em primeiro lugar, vim a saber que as coisa “Made in China” são realmente super “balatas”! Um linha de comboio de alta velocidade custa apenas 23 milhões de euros:

TGV "Made in China" = pechincha

TGV "Made in China" = pechincha

Ora, uma vez que o nosso querido Governo Português decidiu vender as nossa empresas públicas pela módica quantia de 6 mil milhões de euros, está visto que não teremos mais problemas em construir o TGV de Portugal. Aliás, com tanto dinheiro, aposto que o TGV vai chegar a todo o país, desde Pitões da Júnias à Ribeira Brava!

Governo estuda privatizar TAP, CTT, EDP, Galp, REN e seguradoras da CGD

Hoje, ao ler sobre uma empresa tecnológica portuguesa, vim a descobrir que só em receitas, este tem 9 mil milhões de euros!! Sim, ouviram bem, a Vision Box factura tanto, tanto, que num ano dava para pagar 390 linhas TGV Pequim-Xangai ou em alternativa, 150% do total de receitas das privatizações do governo!

Vision-Box com receitas de 9 mil milhões de euros anuais

Vision-Box com receitas de 9 mil milhões de euros anuais

Estou espantado como é que uma pequena empresa tem tanta capacidade! Para dar mais um exemplo, a minha entidade patronal, a SUN Microsystems (com 20-30 mil trabalhadores), foi recentemente adquirida pela Oracle pela módica quantia de ~7 mil milhões de US Dollars. Que pena que a Vision Box não se tenha chegada à frente! 😉

Bem, por enquanto é tudo. Vou actualizando esta página sempre que me deparar com tais “pérolas”.

Afinal, fartei-me de andar a corrigir os erros do Público e raramente actualizo esta notícia. Primeiro porque tenho tido mesmo tempo e segundo porque erros no Público, são todos os dias! Mas hoje vi um notícia com tantos erros que não pude resistir. Primeiro fiquei na dúvida quanto à nacionalidade tenista em questão:

Tem todos os olhos em bico não é?

Afinal, têm todos os olhos em bico não é?

Como não basta dar pontapés na Geografia, a Matemática e pontuação também sofrem as consequências desta “crise mundial”.

Super Avozinha com 54 anos ganha a jogar ténis

Super Avozinha com 54 anos ganha a jogar ténis

E com esta “pérola” fecho mais uma vez este artigo. Até uma próxima vez que veja tantos erros juntos.

 

Bem, já faz algum tempo que não actualizo isto. Tenho reparado que o Público confunde sistematicamente milhões (de euros, dólares) com mil milhões, e escreve coisas ridículas como “o Google e o Facebook estariam interessados em comprar a rede de microblogging, pela qual poderiam pagar cerca de dez milhões”. Isto quando na mesma notícia diz que o Twitter foi avaliado “em 3700 milhões de dólares”.

Grande pechinca para o Google e o Facebook não acham? Não bastando o brutal desconto no preço do Twitter, o público decidiu inflacionar o preço de certos domínios para 7500 a 9500 milhões de dólares. Continuando nesta lógica irracional, afirmam que o sex.com foi o domínio mais caro de sempre vendido por 13 milhões de dólares. A única explicação que encontro para estas contas é que os 7500 milhões não eram dólares Americanos mas sim, dólares do Zimbabwe!

Ficamos a saber que o tipo que vendeu o sex.com ganhou 13 milhões pelo seu domínio.

Mas espertos, espertos, foram os gajos do porn.com:

Estes tipos não só conseguiram cerca de 700 vezes o que foi pago pelo sex.com, mas também cerca de 950 vezes o valor to Twitter! 😉

 

cabecilhas de grupo violentco